Portugal 2030

A linha financeira da União Europeia que ascende a 23 mil milhões de euros foi nomeada de Portugal 2030 e estabelece uma trajetória para 10 anos que fomente o desenvolvimento económico, social e ambiental do país.

Contacte-nos para saber mais

As 4 Agendas Temáticas do Portugal 2030

A Primeira Agenda é relativa às pessoas, para uma maior sustentabilidade e equilíbrio demográfico e para uma maior inclusão e menor desigualdade.

Os objetivos a adotar giram em torno:

  • da mitigação da perda populacional atualmente projetada para 2030, ao tentar aumentar a taxa de natalidade e ao reforçar os saldos migratórios;
  • da redução da exclusão social, do desemprego de longa duração, da pobreza e dos indicadores de desigualdade e de precariedade laboral nos adultos, e nos jovens.

A Agenda Dois refere-se à digitalização, inovação e qualificação como impulsores de desenvolvimento.

Em relação aos objetivos, é previsto que sejam:

  • aumentar a despesa total em investigação e desenvolvimento em 2030;
  • reduzir a percentagem de adultos e jovens em idade ativa sem o nível de ensino secundário;
  • alcançar um nível de 60 % dos jovens com 20 anos que frequentem o ensino superior, com 50 % dos graduados de educação terciária na faixa etária dos 30 -34 anos até 2030;
  • alcançar um nível de liderança europeia de competências digitais até 2030;
  • reforçar a participação de adultos em formação ao longo da vida;
  • reforçar a autonomia e soberania produtiva da UE;
  • aumentar as exportações de bens e serviços com enfoque na performance da balança tecnológica;
  • aumentar a resiliência financeira e a digitalização das pequenas e médias empresas (PME);
  • aproximar os níveis de investimento em capital de risco à média da Europa e reforçar a atração de investimento direto estrangeiro (IDE).

A Agenda Três é relativa à transição climática e à sustentabilidade.

Assumem-se, como objetivos para 2030:

  • reduzir as emissões globais de gases com efeito de estufa no setor dos transportes;
  • aumentar o peso das energias renováveis no consumo final bruto de energia;
  • reduzir o consumo de energia primária;
  • e reduzir para metade a área ardida, de modo a aumentar a capacidade de sequestro do carbono.

Por último, a Agenda Quatro relativamente à coesão territorial do país, promoção dos territórios de baixa densidade e maior equilíbrio entre o território; e à promoção de um pais mais competitivo externamente.

O objetivo é:

  • promover o desenvolvimento harmonioso do território nacional, assegurando que todas as regiões NUTS II convergem em PIB per capita com a média europeia.

Notícias